Iniciante ou não, as exigências para quem decide entrar para o mundo dos negócios mudam constantemente. Diante dessa volatilidade, nem sempre é fácil determinar quais são as habilidades do empreendedor de sucesso.

No entanto, a presença desse tema é cada vez mais frequente em pesquisas e na mídia. Uma reportagem apresentada na Globo News mostrou os resultados de uma análise feita pelo Fórum Econômico Mundial sobre o assunto.

O relatório apontou que as habilidades não mensuráveis — associadas ao comportamento — serão fundamentais para os profissionais do futuro. Comprometimento e empatia estão entre elas.

Quer aumentar as chances de sucesso da sua startup? Confira abaixo a relação e saiba como colocá-las em prática!

Por que muitos empreendedores não conseguem ser bem-sucedidos?

Para que um negócio engrene e dê certo, não basta ter uma boa ideia e a coragem de empreender. E um bom gestor percebe isso desde o início, o que é altamente benéfico para o crescimento da empresa. Essa percepção é que faz um empreendedor ser bem-sucedido — e ignorar esse aspecto é o caminho para o fracasso.

Toda pessoa que almeja empreender deve ter habilidades especiais que ajudem na gestão eficiente do negócio, sobretudo em períodos em que a crise econômica é um dos principais desafios do mercado.

Muita gente tem essas competências naturalmente no seu DNA de empreendedor. Outras, apesar de terem uma boa proposta, não sabem como administrar corretamente o seu empreendimento. Nesse caso, o que define o seu sucesso é reconhecer a sua condição e agir para mudá-la.

Se você não tem as habilidades que um gestor nato deveria ter, é imprescindível adquiri-las. Isso pode ser feito por meio de treinamentos, mentorias e especializações. Quanto mais suporte você tiver, mais lapidados e aperfeiçoados serão os seus conhecimentos e, consequentemente, mais eficácia terá a sua administração.

Quais são as habilidades que todo empreendedor deve ter?

1. Ser líder

Liderança é uma das principais habilidades de um empreendedor. Afinal, quem escolhe esse caminho já demonstra pioneirismo, ímpeto de liderar e vontade de tomar decisões. Assim, para exercer bem a posição de comando, é preciso ter proatividade e não ser impedido pelo medo de sair da zona de conforto.

Às vezes, é difícil arriscar e seguir os próprios sonhos, mas ser líder implica em superar esse sentimento e focar o que deve ser feito, independentemente dos desafios, que certamente aparecerão.

É preciso nascer com essa habilidade? Não. É possível desenvolver a liderança por meio de treinamentos, workshops ou até mesmo participando de uma aceleradora de startup.

2. Ouvir com atenção

Diante de tantas informações e distrações, escutar pode ser um desafio. Em muitos casos, é mais fácil fazer cara de paisagem ou mascarar interesse com relação àquilo que o outro está dizendo.

No entanto, o empreendedor precisa estar atento ao que os clientes, parceiros, fornecedores e investidores têm a dizer. Ouvir com atenção abre as portas para um bom diálogo, além de demonstrar interesse e consideração pelas pessoas.

Para fazer isso, mantenha o contato visual com quem você está falando, não interrompa o outro no meio da argumentação e refira-se diretamente a ele nas suas respostas.

3. Exercer a curiosidade

A curiosidade também é uma habilidade essencial que o empreendedor precisa ter. Um artigo da Business Harvard Review considera que ela é tão importante quanto a inteligência, principalmente diante dos complexos desafios enfrentados pelas startups.

Pessoas curiosas são mais abertas a novidades e tendem a desenvolver ideias originais. Além disso, elas têm mais empatia e são mais tolerantes diante da ambiguidade das situações complexas.

Ou seja, quanto mais curiosa uma pessoa for, maior é a possibilidade transformar algo desconhecido em familiar e propor soluções simples diante de uma situação muito difícil de compreender.

4. Manter-se organizado

A organização é outro quesito importante na vida de quem opta por empreender. Quem tem uma startup precisa organizar as tarefas, cumprir horários e aprender a lidar com uma série de situações que, muitas vezes, fogem da área de atuação inicial.

Por isso, é preciso estabelecer uma rotina. Existem diversas técnicas e ferramentas tecnológicas que auxiliam na organização. O próprio Google disponibiliza uma agenda que permite a criação de compromissos e o envio de alertas.

5. Buscar sempre melhorar

Algumas metas já foram atingidas? Nada de relaxar! Comemore, mas tenha em mente que é preciso melhorar o produto ou serviço desenvolvido de forma constante.

Para fazer isso, se o negócio já estiver funcionando, estimule o feedback do cliente. Já projetos que estão no início podem realizar testes ou até mesmo contar com uma mentoria especializada.

Ao escolher uma aceleradora, por exemplo, a startup tem acesso à rede mentores composta por empresários e pessoas com bastante experiência em diversas áreas de atuação. Esses profissionais avaliam a ideia e dão o direcionamento adequado para que o empreendimento possa evoluir e oferecer o melhor produto e serviço para o cliente.

6. Estar aberto para aprender

Por mais que certo patamar seja atingido, tanto iniciantes quanto os mais experientes em lidar com o próprio negócio precisam ter a mente aberta para o constante aprendizado.

Uma maneira de colocar isso em prática é investindo em educação empreendedora. Isso gera várias vantagens para o negócio, como:

  • competitividade diante da grande concorrência;
  • ampliação da capacidade de propor soluções;
  • alta qualidade da produção.

Vale ressaltar que a busca por melhores resultados é essencial tanto para o líder quanto para colaboradores, funcionários e sócios.

7. Desenvolver pensamento crítico

Para lidar com inúmeras informações e rápidas mudanças, é essencial desenvolver um pensamento crítico, uma das mais importantes habilidades de um empreendedor.

Isso significa ser capaz de ler notícias, processar a informação apresentada e formar a própria opinião. Para colocar isso em prática, é necessário ter experiência e bagagem de vida.

startupPowered by Rock Convert

Estudar e entrar em contato com outras pessoas é uma boa maneira de estimular a formação do pensamento crítico.

8. Praticar a criatividade

Certamente, você já se deu conta de que, aos poucos, há profissões e negócios que vão desaparecendo até deixarem de existir. Isso acontece por motivos variados, como o custo de manutenção ou o surgimento de uma nova tecnologia que os torna ultrapassados.

No entanto, independentemente dos fatores citados anteriormente, a criatividade nunca vai morrer e depende apenas do ser humano. Uma máquina pode até traduzir um texto, mas não consegue criar uma frase no momento e hora certos, por exemplo. Portanto, o empreendedor do presente e do futuro deve preocupar-se em ser extremamente criativo.

9. Ter resiliência

A resiliência está relacionada à quantidade de adversidades e obstáculos que uma pessoa consegue superar sem desistir de alcançar o seu objetivo inicial. Essa é mais uma das características imprescindíveis para sobreviver no ambiente empresarial, pois você será confrontado por desafios diariamente.

Um empreendedor resiliente é capaz de passar por inúmeras situações conflituosas e estressantes sem que isso o faça perder o seu controle emocional ou impacte de forma negativa o seu processo decisório.

Agir com resiliência é um grande diferencial perante a concorrência, haja vista que indivíduos com esse perfil têm mais tolerância a mudanças, inovam e se adaptam com facilidade, aumentando as suas vendas mesmo em momentos de dificuldade.

10. Gostar de socializar

Na vida de empresário, você terá que se relacionar com novas pessoas constantemente, seja dentro do empreendimento — com colaboradores e clientes — ou fora dele — ao colocar em prática estratégias de negociação com investidores e fornecedores. A sociabilidade é exigida o tempo todo no dia a dia empresarial.

O diálogo com os diferentes perfis de clientes é de suma importância para impulsionar o crescimento da empresa. Afinal, as pessoas são distintas e não podem ser tratadas exatamente da mesma maneira. Atente para as características específicas de cada fatia de consumidores.

Contudo, de modo geral, não é preciso que o empreendedor mostre-se extremamente extrovertido, bastando desenvolver a capacidade de relacionar-se bem em sociedade e adaptar-se de acordo com os ambientes e indivíduos com quem tem contato.

Esse fator também deve ser levado em consideração na hora de contratar as pessoas que trabalharão no seu negócio. O ideal é dar preferência para pessoas sociáveis, que também tratem bem e saibam conversar com o público interno e externo com cordialidade.

11. Ser ambicioso

Muita gente enxerga a ambição como uma característica negativa, que pode tornar uma pessoa sedenta e capaz de fazer tudo para alcançar o dinheiro e sucesso esperados. Entretanto, quando interpretada corretamente, essa habilidade é altamente relevante entre os empreendedores.

Se não existe vontade de crescer e coragem para lidar com os desafios que surgem todos os dias para concretizar os seus sonhos, a possibilidade de o negócio afundar é muito grande.

A competitividade encontrada no meio empresarial é indispensável para incentivar a evolução das empresas de forma saudável. Assim sendo, desejar o progresso é substancial para que o empreendedor conquiste o sucesso, atuando sempre com ética e responsabilidade.

12. Dominar as técnicas de gestão

Além das competências comportamentais, um bom empresário também deve ter ou adquirir habilidades profissionais, apresentando domínio de gestão empresarial.

Não necessariamente um empreendedor precisa ter formação superior no curso de Administração, mas é crucial ter afinidade com o assunto e procurar aprender as técnicas e estratégias que auxiliam na gestão e funcionamento adequado do empreendimento.

A ausência de planejamento e gestão está entre as principais causas do encerramento do serviço de muitas empresas. Nesse contexto, conhecer e usar as técnicas mais modernas e eficientes é primordial para enfrentar os transtornos do cotidiano e se moldar de acordo com as exigências do mercado.

Para aplicar um gerenciamento de qualidade, você deve aprender sobre gestão de pessoas, visando promover a valorização do indivíduo dentro da equipe; sobre gestão de finanças e de estoque, que são necessários para que qualquer empreendimento sobreviva; sobre gestão de processos, que permite a implantação de processos que otimizam os departamentos estratégicos do negócio.

13. Mostrar-se responsável

A responsabilidade é considerada uma das maiores qualidades do ser humano, sendo exigida em qualquer coisa que fazemos. No universo corporativo, não seria diferente. Ser responsável é obrigatório para todos os que se propõem a empreender.

Tenha em mente que, além de você, outras pessoas dependem da sua empresa, como funcionários e clientes, logo, se houver alguma falha por conta da falta de disciplina, todos serão afetados pelas consequências dessa ação.

As pessoas responsáveis são empenhadas e não costumam deixar de lado nenhuma tarefa somente porque existe algo de difícil resolução. Elas sempre arrumam um jeito de cumprir as atividades que lhes são confiadas. Assim também deve ser um empreendedor: mesmo diante de um desafio, é necessário ter engajamento e vontade de vencê-lo.

Os empresários fazem parte de um ambiente desafiador, e mostrar-se responsável com as suas obrigações e objetivos, com certeza, é um ponto positivo para empreender — sem falar que a responsabilidade transmite uma imagem de seriedade, o que confere maior credibilidade para o seu negócio.

14. Seguir valores e princípios

Engana-se quem pensa que princípios e valores são aplicados apenas no âmbito pessoal. No mundo dos negócios, seguir certas premissas contribui muito para o sucesso do empreendimento.

A honestidade é uma delas. Praticando-a no dia a dia, é possível se distanciar da corrupção e de práticas fraudulentas que resultam em grandes derrotas paras as startups.

Outra premissa essencial é a do trabalho. Com dedicação, confiança e persistência, é possível ter um crescimento sustentável, além de evitar atitudes erradas.

Agora, se o objetivo é ir além, conciliando a vontade de crescer com o próprio negócio e o desejo de impactar a sociedade de maneira positiva, vale a pena colocar em prática os conceitos do Business as Mission, também conhecido pela sigla BaM.

Com base em princípios cristãos, o termo propõe que as atividades do negócio devem estar em sintonia com os seguintes aspectos:

  • respeito aos clientes,
  • uso equilibrado dos recursos naturais,
  • promoção do bem-estar para colaboradores e sócios,
  • transformação social positiva.

É exatamente disso que a sua startup está precisando? A Bluefields é a solução que você procura! Por meio do programa The Big BaM!, ela estimula o desenvolvimento de habilidades do empreendedor, fornece um aprendizado prático e dá acesso à rede de investidores e parceiros estratégicos. Não perca tempo e entre em contato conosco para ter sucesso com a sua startup!

Escreva um comentário

Share This