aceleradora de startupsPowered by Rock Convert

Já pensou em ter pessoas que, além de estarem dispostas a ajudar com tudo o que você precisa para crescer sua startup, também podem dar o caminho das pedras para se conseguir um investimento? Pois isso existe — e um das melhores formas de você se conectar com elas é a aceleradora de startups!

É fato que, no início de um empreendimento, o crescimento é árduo e custoso, com grandes desafios, incertezas e despesas. Além disso, a quantidade de informações é gigante e o empreendedor iniciante acaba se perdendo, pois não tem habilidade suficiente para dominar tantos assuntos.

Dados fornecidos pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) calculam que, atualmente, existam cerca de 40 aceleradoras no Brasil, envolvidas em mais de 865 negócios. E esse número só tende a crescer, já que o ramo ainda é muito novo.

Portanto, se você estava desanimado porque não tem a grana necessária para montar um negócio — mas uma grande ideia em mente — seu sonho pode estar próximo de virar realidade.

Ainda segundo a FGV, os investimentos em startups já alcançaram a marca de R$ 51 milhões de reais no Brasil. Esse número não é nada se comparado a outros países maduros em tal empreendimento, mas não deixa de ser promissor, até porque é calculado entre 5 a 7 anos (para que sejam realmente sustentáveis).

Gostou de saber disso? Então, continue com a gente, pois pensando nesse aspecto é que vamos mostrar tudo o que você precisa saber sobre as aceleradoras e quais os benefícios que elas trazem. Acompanhe!

Conhecendo uma aceleradora

Por mais bobo que pareça, muitas pessoas a confundem com incubadoras — e isso é algo que, de antemão, já deve ser eliminado de seu pensamento. Apesar de terem semelhanças, suas características se diferem bastante no final das contas. Mas esse assunto será discutido separadamente, para que você o entenda melhor.

As aceleradoras podem ser definidas como organizações que ajudam o empreendedor a desenvolver seu negócio muito mais rápido do que se estivesse sozinho. Daí vem a origem do nome, pois um programa de aceleração faz a startup crescer mais rápido e do jeito certo.

As aceleradoras têm ótimas redes, fazendo conexões com empreendedores, investidores, mentores e pesquisadores. Além disso, há uma estruturação metodológica que leva a um desenvolvimento rápido e eficaz, com acesso a uma grande rede de networking e diversos contatos importantes. Todo esse processo ajudará a consolidar e alocar ideias em um mercado promissor.

Aceleradoras x incubadoras

Tanto uma quanto a outra são organizações desenvolvidas no intuito de ajudar pessoas no início de seu negócio, ou seja, nos fundamentos e alicerces. Os alvos são empreendimentos inovadores e com potencial de rápida evolução.

Uma das grandes diferenças entre elas reside no tipo de programa. Enquanto muitas vezes a incubadora tem um fluxo mais contínuo, a aceleradora trabalha por ‘batch’, ou seja, por turmas de empreendedores e, geralmente, com programas de até no máximo 12 meses. Na Bluefields, por exemplo, os programas são de 4 meses.

Esse perfil da aceleradora é uma distinção que permite a ela ter uma gama de serviços mais direcionados à uma produção de resultados rápidos em relação ao empreendimento. Em pesquisas recentes da GALI – Global Accelerators Learning Initiative, negócios que passam por programas de aceleração possuem mais chances de conseguir investimentos e possuem receitas maiores do que negócios que não passaram por nenhum programa.

Uma outra diferença é que geralmente as incubadoras proporcionam espaços físicos e infraestrutura e a aceleradora, por sua vez, oferta metodologias e ferramentas práticas, assim como mentores e profissionais altamente qualificados, auxiliando na expansão da rede de relacionamentos do empreendedor.

Além disso, uma incubadora tem a missão de transformar ciência em um potencial negócio. Já a aceleradora foca em algo um pouco mais concretizado. No entanto, na realidade brasileira, um mesmo negócio pode por exemplo ter o escritório em uma incubadora e estar em um programa de uma aceladora. Não existe uma regra muito bem definida entre estágios de maturidade, o que as vezes também acaba confundindo que não vive nessa realidade.

Pleiteando o investimento

Algumas aceleradoras que investem diretamente nos negócios selecionados, outra se responsabilizam por fazer boas conexões com fundos e parceiros. Naturalmente, esse apoio é mais facilmente conquistado por empresas inovadoras com um modelo lucrativo e escalável.

Na Bluefields, o foco é acelerar negócios de tecnologia e impacto social. E são muitos os segmentos envolvidos quando o assunto é tecnologia, inovação e e impacto: educação, saúde, mundo digital, nanotecnologia e tantos outros.

Portanto, colocando a equipe na direção certa, com muita empolgação e colaboração, o sucesso será só questão de tempo. Perseverar é muito importante e você entenderá melhor o motivo logo abaixo.

Ganhando reconhecimento

Primeiramente, é interessante explicar à equipe o que é uma aceleradora e como ela poderá contribuir positivamente para a startup. Feito isso, o time, liderado por um representante escolhido pelo gestor, apresentará o negócio em eventos, submetendo-o a uma avaliação dos investidores. Isso é conhecido também como pitch de vendas. Muitas aceleradoras incluem o que é chamado de Pitch Day durante o processo de seleção de startups.

Os gestores devem ter em mente, ainda, que as ideias iniciais da equipe não serão tão valorizadas pela aceleradora, já que haverá mudanças no decorrer do processo de transição. Mas, se todos se mantiverem firmes, fortes e resilientes, as adaptações serão só um detalhe.

E finalmente, o The Big BaM!

A Bluefields oferece aos empreendedores dois programas:

– The Big BaM! startup: programa de pré-aceleração, bastante recomendado para quem está começando agora o negócio e quer estruturar até inclusive o ponto de estar preparado para conseguir investimento. São pelo menos 4 turmas de empreendedores ao ano, geralmente duas turmas por semestre.

– The Big BaM! growth: programa de aceleração, focado em startups que já estão iniciando as vendas. Geralmente, um programa por ano.

Os programas da Bluefields são considerados bastante completos, compactos (por ser tudo em 4 meses) e bastante intenso. São programas gamificados e a Bluefields, devido algumas parcerias estratégicas, possui uma metodologia já aplicada em mais de 700 negócios de países em desenvolvimento e com resultados incríveis. Além disso, cerca de 20% do conteúdo de aceleração corresponde a fundamentos judaico-cristãos, utilizando sabedoria, conceitos de ética, moral e tomadas de decisão que, comprovadamente, faz a diferença no desenvolvimento de negócios, combate à corrupção e impacto social!

Mas agora que você já sabe um pouco sobre esse nicho que aquece cada dia mais o mercado brasileiro, é hora de começar a pensar em algo que possa revolucionar nossa sociedade e fazer história no país e porque não do mundo.

E então? Achou interessante conhecer mais sobre uma aceleradora de startups, mas ainda tem dúvidas ou questionamentos sobre o assunto? Não perca tempo: entre em contato conosco. Será um prazer ajudá-lo!

Escreva um comentário

Share This