aceleradora de startupsPowered by Rock Convert

Seja por inexperiência ou falta de conhecimento, um dos principais erros cometidos por muitos empresários é não separar finanças corporativas e pessoais, especialmente no início da empresa.

Geralmente, o empreendedor começa fazendo pequenos gastos, como as compras do supermercado, e quando vê já está se apropriando de recursos maiores, o que compromete o caixa do empreendimento.

Não é raro que o contrário também aconteça. Se a empresa não está indo bem, muitas vezes, o dono tira dinheiro do próprio bolso para sanar os problemas financeiros.

Toda essa desorganização gera sérios agravos para a saúde das finanças da empresa. Nos piores casos, isso pode até resultar na inviabilidade do negócio e, consequentemente, em falência.

Misturar as contas pessoais e empresariais faz parte da sua cultura organizacional? Confira, abaixo, por que é necessário abandonar esse hábito agora mesmo!

Evita problemas fiscais e tributários

Uma das maiores razões para separar as finanças corporativas dos gastos pessoais é por conta do pagamento de impostos. Ao fazer declarações de rendas separadas, você preenche toda a papelada que será entregue às instituições tributárias e evita a ocorrência de problemas legais e multas.

Sem falar que, existem regras tributárias diferentes para os impostos pessoais e os empresariais. Quando não há diferenciação, o empresário acaba pagando impostos mais altos.

Facilita a escrituração do negócio

Toda vez que uma despesa do negócio aparece de forma estranha ao tipo de atividade desenvolvida normalmente, fica mais difícil de elaborar uma escrituração contábil correta do empreendimento.

Por isso, é imprescindível registrar todos os lançamentos, não somente por motivos legais e fiscais, mas também para que você, enquanto gestor, consiga utilizar os dados para os processos de tomada de decisões em circunstâncias críticas e seguindo uma gestão estratégica.

Ajuda a entender a situação financeira da empresa

No dia a dia, o empreendedor pode cair na armadilha de colocar na conta empresarial gastos com alimentação, entretenimento, viagens e aquisição de bens que são de ordem pessoal.

Apesar de parecer tentador, para ter uma dedução fiscal maior, além de ser ilegal, esse tipo de atitude também impede que você consiga entender detalhadamente como anda a situação financeira da empresa, pois não saberá em que o dinheiro realmente está sendo empregado e que retorno está gerando.

Aumentar o seu poder de crédito

Ter crédito na praça é essencial para qualquer negócio que almeje crescer. Se a empresa tem uma identidade de negócio devidamente separada das suas finanças pessoais, a tendência é que construa uma boa reputação perante os bancos. Assim, é possível ter fácil acesso a empréstimos e financiamentos.

A solicitação de um cartão de crédito corporativo pode ser negada quando a pessoa física apresenta uma situação de crédito pessoal que não é confiável. Contudo, a separação da pessoa jurídica é uma aliada importante para facilitar esses processos.

Os benefícios de separar finanças corporativas e pessoais são muitos, sendo que os principais são o aumento da sua credibilidade e profissionalismo. Dessa forma, a empresa transmite maior confiança aos seus clientes e credores, além de ter melhores referências para se planejar e empregar uma administração eficiente.

Quer saber mais? Tem alguma dúvida? Deixe seu comentário aqui embaixo para que possamos te ajudar!

Escreva um comentário

Share This