aceleradora de startupsPowered by Rock Convert

Quer transformar sua ideia em uma grande empresa? Uma boa forma de começar é colocar no papel e visualizar todas as implicações que isso vai gerar, desde proposta de valor à estrutura e custos — e a forma mais prática de fazer isso é por meio da construção de um modelo de negócio canvas.

Não sabe o que é isso? Não se preocupe, nós explicamos: o canvas é uma ferramenta proposta pelo pesquisador suíço Alexander Osterwalder, que surgiu depois de vários testes que buscavam encontrar um modelo de negócios ideal para empresas inovadoras — como as startups, que precisam validar uma ideia e modelá-la de forma rápida.

A metodologia proposta por ele é bem simples: representar em apenas um quadro, de forma totalmente visual, os passos essenciais que um empreendedor precisa tomar para ter uma empresa rentável no mercado. Diferentemente dos planejamentos estratégicos mais tradicionais, esta é uma forma eficaz e sem burocracia de poder fazer a gestão de uma inovação.

As etapas propostas pelo canvas estão listadas logo abaixo. Mas atenção! O preenchimento deve sempre começar pelo centro do quadro. Confira!

Proposta de valor

O que você pretende entregar para seu cliente? Essa é uma pergunta que parece óbvia, mas o que ela realmente suscita é o que seu empreendimento vai gerar de valor para o consumidor, além do produto ou serviço ofertado. Por exemplo: existem inúmeras lojas que podem fazer o que você precisa, mas por que você tem preferência por apenas uma? Essa diferença faz parte da proposta de valor de um negócio.

Segmento de clientes

Em “segmento de clientes”, como o nome sugere, será preciso elencar um público específico, como potenciais consumidores. Uma dica é: tente destacar o máximo de informações possíveis sobre esse comprador, pois isso facilitará no preenchimento das próximas etapas.

Canais

Na medida em que você tem “o que” vender e “para quem”, você deve pensar em “como” fazer isso, certo? É preciso ter em mente se será por meio de uma loja física ou virtual, quais os canais de comunicação mais adequados para atingir seu público-alvo etc. Todos esses pontos deverão levar em consideração o que realmente é eficaz e trará um melhor custo-benefício para a empresa.

Relacionamento com clientes

Essa questão se torna cada vez mais complexa — principalmente após o boom da internet e das redes sociais. Isso porque esse canal nos dá a opção de trabalhar os consumidores a partir do estágio de relacionamento em que se encontram e, ainda, oferecer um atendimento bem mais personalizado. Portanto, investir nesse processo é muito importante.

Vale ressaltar que, em geral, é nessa etapa que são listadas as ações para alcançar um bom relacionamento com clientes.

Atividades principais

Baseado no que você já destacou em seu modelo de negócios canvas até aqui, nesta etapa será preciso fazer uma listagem de ações que serão necessárias para atingir seu objetivo. Elas podem ser de diversos setores, como comunicacional, tecnológico, logístico, relacionamento etc.

Recursos principais

O que será preciso para fazer todo o projeto funcionar? Aqui é indicado colocar recursos como papel, máquinas, energia, água e, inclusive, recursos humanos.

Parcerias principais

Já ouviu o ditado “a união faz a força?”. Isso vale muito para o mundo do empreendedorismo, principalmente quando se tem baixo poder de investimento — pois muito do sucesso de um negócio é feito pelas parcerias que ele constrói.

Antes de listar quais principais fornecedores e parcerias serão necessárias, vale refletir qual o perfil desse parceiro, onde encontrá-lo e quais contrapartidas é possível oferecer.

Receitas

Nenhum negócio se sustenta se não houver retorno de investimento, isto é, formas de receita. Esse é um grande momento na construção do canvas, pois é a partir disso que todo o ciclo de vida do produto ou serviço poderá se reiniciar. Além do mais, isso pode mudar ao longo do processo de desenvolvimento — caso se perceba que existe uma forma melhor de se gerar mais receita.

Estruturas de custos

Em “estruturas de custos”, você deverá colocar na ponta do lápis o custo necessário para se construir a empresa. Se esse valor for muito alto, de repente nem compensa começar a executá-la. Destaque aqui toda a mão-de-obra, o aluguel, os impostos, os materiais etc.

Uma dica: para aproveitar melhor o seu modelo de negócio canvas use post-its para preenchê-lo. Afinal de contas, a ideia aqui é fazer um planejamento modelável, que possa ser atualizado e mudado quantas vezes for preciso até que a inovação vire realmente um negócio escalável.

Gostou de conhecer como o canvas funciona? Se houver dificuldades, você também pode recorrer a ajuda de uma consultoria especializada para a modelagem ou até mesmo um programa de aceleração com uma mentoria completa. Entre em contato agora mesmo com a Bluefields e tenha todo o direcionamento que precisar!

Escreva um comentário

Share This