Com a transformação digital acontecendo no mundo, novas tecnologias surgindo e a era da informação em ascensão, fortalecendo a ideia do universo VUCA, onde tudo é volátil, incerto, complexo e ambíguo, a frase “tempo é dinheiro” se torna cada vez mais presente no dia a dia de todos, mas principalmente dos empreendedores. 

Neste cenário, uma nova metodologia surge tornando o processo de construção e validação de uma ideia um fluxo cada vez mais assertivo e extremamente ágil, para ser mais preciso: em apenas 5 dias.

Seja uma startup dando seus primeiros passos ou uma grande empresa já consolidada, para esse método isso pouco importa. Independentemente do tamanho do negócio, o Método do Design Sprint pode ser aplicado para criar e para desenvolver novas ideias em um curto tempo.

O que é o Método Sprint?

O método do Design Sprint, mistura conceitos de design e agilidade. De forma simples, podemos dizer que a ideia funciona como um processo de design “express”, onde um grupo de pessoas se junta durante 5 dias para responder perguntas críticas relacionadas ao negócio, tendo como parte do processo a prototipagem, design e teste das ideias com os usuários.

As design sprints tem como objetivo principal, acelerar o processo de concretizar uma ideia de melhoria para uma solução tangível. É um trabalho em equipe, com esforço intenso mas conduzidos para uma única direção: foco em melhores resultados. 

O princípio geral do sprint é não esperar pelo lançamento de um MVP, por exemplo. A ideia é ver que resultados pode-se esperar da solução com o menor investimento, equipe e tempo de desenvolvimento possíveis, proporcionando o melhor Retorno sobre investimento (ROI).  

Após esse processo ser “concluído” e validado, a empresa pode enfim, dar andamento na ideia, com mais segurança, menos custos e maior otimização do tempo. 

fonte da imagem: https://www.projetodraft.com/

Mas, como (e quando) aplicar o método? 

É comum que os Design Sprints sejam utilizados em 3 situações:

  • Começo de um projeto: podemos começar uma ideia utilizando o método das designs sprints para definir qual o produto desenvolver e qual necessidade do usuário solucionar;
  • No meio de um projeto: quando você acaba se esbarrando em obstáculos e dificuldades ou ainda acaba se vendo “preso” em alguma parte do processo
  • Para fazer as coisas com mais rapidez e agilidade: vemos cada vez mais essa metodologia sendo utilizada também para injetar um pouco de velocidade nos processos;

Para aplicá-la, idealmente, dividimos em cinco fases, preferencialmente realizadas também em cinco dias (uma em cada dia), sendo: 

  1. Entendimento (revise os insights do usuário e do plano de fundo);

Esse é o dia de mapear e entender de forma mais profunda cada problema. Por isso, é importante estabelecer metas e levantar hipóteses para direcionar melhor as ações.. Para isso, é importante reunir as diversas expertises dentro da equipe para garantir que se faça as perguntas certas para a total compreensão do problema.

  1. Esboço (desenhar soluções e debater o que é possível);

Após entender melhor o problema na etapa anterior, é importante usar o “esboço” para discutir e rascunhar soluções. É o momento de “sair fora da caixa” e explorar ao máximo os insights que surgirem, sem tanta preocupação com a viabilidade (por enquanto).

Depois de todo esse brainstorming, aí sim é hora do grupo olhar para tudo que foi dito e  filtrar como essas idéias irão funcionar, priorizando as mais promissoras e factíveis..

  1. Decisão (soluções de classificação, escolha uma);

Aqui é hora de refinar as melhores ideias e eleger a vencedora, que será prototipada. Também é o momento de criar um passo a passo visual e detalhado de como será o MVP.

  1. Prototipagem (criação de um conceito mínimo viável);

Sim! Aqui já é hora de construir o seu protótipo da forma mais realista possível. O objetivo é que até o fim do dia haja um esboço perfeitamente funcional para ser testado e validado no dia seguinte. 

Aqui é super importante planejar as ações no início do dia e usar as ferramentas de prototipagem mais conhecidas pela equipe para ganhar tempo. 

  1. Testes (observe o que é eficaz para os usuários).

Por fim, o último dia da sprint é dedicado para testar o protótipo junto com os potenciais usuários em sessões individuais. O objetivo é que ele interaja com as novas funcionalidades em tempo real e produza feedback instantâneo para a equipe. No final deste processo será possível aprender com os insights obtidos, avaliar a aplicabilidade e validar ou não a ideia. 

Rápido, não é mesmo? 

Vantagens do design sprint

Considerando a velocidade com que as tecnologias são criadas, como mencionamos mais acima, o design sprint é uma grande vantagem, porque além de permitir a validação de ideias em pouco tempo, ela também alcança consequentemente uma economia de custos.

Por isso, esse é um recurso cada vez mais utilizado por startups e pequenas empresas. Mas não são só empresas em processo inicial que se agarram nesse conceito, as grandes empresas já começam a crescer seus olhos para a metodologia, principalmente no momento atípico que vivemos, onde agilidade e otimização de tempo são diferenciais de sobrevivência.

Nesta técnica, a ideia é que o time consiga visualizar a versão final do produto nas mãos dos consumidores, antes de fazer um alto investimento na ideia. Portanto, o risco de prejuízos é menor, ou seja, uma excelente pedida para momentos de crise.

Conclusão

Como vimos durante esse artigo, o Design Sprint é um ótimo guia para equipes que desejam encontrar soluções em conjunto visando resolver problemas complexos. 

A metodologia do Design Sprint levou em consideração os mais diversos modelos e cultura de design para otimizar o dia a dia das empresas. Além da velocidade, outra vantagem desta metodologia ágil é a praticidade. 

Com certeza, aplicar isso no seu negócio trará inúmeros benefícios e se você precisa de ajuda com a implementação desse processo, entre em contato com os nossos especialistas. Aqui na Bluefields utilizamos essa metodologia para auxiliar, tanto com processos internos, mas também na aceleração de novas startups. Não perca tempo e fale com a gente! 


Isabella Molinari
Isabella Molinari

A Isabella é Relações Públicas por formação e possui experiência em unicórnios como Quinto Andar e Loft. Atualmente ela colabora com textos sensacionais para o nosso blog e Linkedin. A Isa está atualmente no processo de abrir seu próprio negócio e sabe melhor que ninguém os perrengues da vida empreendedora.

Leave a Reply

Your email address will not be published.