Vemos um grande movimento no Brasil em relação ao uso de novas tecnologias como a inteligência artificial. Mesmo em setores onde a tecnologia parecia algo muito distante, como a indústria, e a agricultura, a inteligência artificial já está sendo aplicada  em larga escala. De acordo com pesquisas, a IA é apontada como uma das principais tecnologias para o ano de 2021. Ela poderá gerar investimentos de US$464 milhões para o Brasil ainda este ano. 

Em resumo, uma das principais vantagens da Inteligência Artificial é a facilidade para automação, sem necessidade do suporte ou do intermédio de outra pessoa para configurá-la, fazendo assim com que exista uma otimização do tempo e aumento da produtividade do negócio, consequentemente maior eficiência. 

Ainda que o mercado como um todo esteja cada vez mais aberto às possibilidades desse recurso, há setores que estão saindo na frente. Conheça alguns deles:

Saúde e biotecnologia

No campo da saúde, já conseguimos notar o impacto do uso da Inteligência Artificial. Atualmente, 12,5% das startups brasileiras de IA já tem o seu olhar dedicado para a saúde e biotecnologia. Essa tecnologia já pode auxiliar, por exemplo, integrando a jornada do paciente, desde o agendamento até a entrega de exames. Dessa forma, os profissionais já conseguem focar mais tempo onde realmente importa: a assistência ao paciente.

Em 2018, um estudo publicado na revista científica Annals Of Oncology mostra que a IA superou médicos da França, Alemanha e Estados Unidos na detecção de imagens de câncer de pele.

Várias startups que utilizam desse recurso na área da saúde, já estão surgindo no Brasil, como a Onkos, uma startup que auxilia em diagnósticos incertos. A companhia une biologia molecular, assinaturas genéticas personalizadas e inteligência artificial. 

Há, ainda, espaço para empresas que atuam em outras fases da cadeia – a CogniSigns realiza triagem digital para tratamento de Transtorno do Especto Autista (TEA). Já a Mindify automatiza protocolos de pós-atendimento.

Conforme o relatório da KPMG sobre IA, o país já soma em torno de 60 startups no setor de saúde e biotecnologia.

Agricultura

A agricultura talvez seja um dos setores que menos se imaginava a aplicação da IA. Por muito tempo, esse mercado se baseou em teorias, previsões e caminhos incertos para tomar decisões. Mas, esse cenário vem mudando. De acordo com dados do último Censo Agropecuário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ainda em 2019, 1,5 milhões de produtores rurais acessam dados por meio dos dispositivos móveis. Isso representa um número superior a 1.900% em relação a 10 anos atrás.

Além disso, vemos movimentos de novas startups trazendo dados mais assertivos que ajudam agricultores, como a Pluvi.on que utiliza IA para saber em quais regiões choverá e a Agrosmart que consegue monitorar e analisar a certificação do estoque de carbono em solo, sendo assim, capaz de medir, até mesmo, os nutrientes em folhas, por exemplo. 

Indústria 4.0

Atualmente, 9,6% das startups de IA brasileiras focam na indústria 4.0. E se em um contexto a tecnologia pode ajudar em diagnósticos de saúde e previsões meteorológicas,  na indústria essa mesma frente é útil na contagem e classificação de produtos. Essa é a solução oferecida, por exemplo, pela Kajoo Smart Solutions, que atua desde na matéria prima até o resultado final.

Apesar da tecnologia dispensar a atividade humana na linha de frente da produção, nesse contexto, ela se torna extremamente  importante  para pensar estrategicamente como as máquinas podem contribuir para o aumento da produtividade e criação de novos serviços e processos. Logo, na indústria 4.0, às ferramentas de IA aparecem em forma de sensores, Smart Data, Internet das Coisas (IoT) e Cloud Computing. Elas trabalham correlacionadas, buscando as melhores maneiras de executar as atividades.

Recursos humanos e gestão de pessoas 

Falando sobre pessoas, conseguimos visualizar muito espaço para aplicação da IA. Empresas como a Job Cam, tem seu processo de contratação 100% digital e já utilizando esse tipo de tecnologia. Em resumo, as pessoas respondem um questionário ao se inscreverem no site e com base nas respostas a inteligência artificial já começa o processo seletivo.

Outra grande empresa que utiliza sua própria IA em seus processos é a Gupy. Um de seus fundadores garante ser possível aumentar a eficiência das contratações em até 75% utilizando inteligência artificial nos processos.

E não é só em processos seletivos que vemos a inteligência artificial sendo utilizada, a Pin People, por exemplo, usa a IA para medir e melhorar a experiência dos funcionários de empresas. Com base no cruzamento de dados, a gestão consegue direcionar as ações de engajamento tornando-as mais assertivas. 

Conclusão

É perceptível como a aplicação de recursos como a inteligência artificial, trazem resultados claros e mostra um grande potencial de mercado. Além disso, startups no setor de agronegócio, saúde e alimentação estão cada vez mais demonstrando sinergia nos processos e podem alcançar patamares ainda maiores se trabalhado esforços em conjunto. Para falar mais sobre esse tema, lançamos o nosso ebook “Inovação Biodigital”, baixe agora para aprofundar seus conhecimentos na convergência biodigital, ter um panorama aprofundado sobre o mercado e como utilizar o conceito no seu negócio. 


Isabella Molinari
Isabella Molinari

A Isabella é Relações Públicas por formação e possui experiência em unicórnios como Quinto Andar e Loft. Atualmente ela colabora com textos sensacionais para o nosso blog e Linkedin. A Isa está atualmente no processo de abrir seu próprio negócio e sabe melhor que ninguém os perrengues da vida empreendedora.

Leave a Reply

Your email address will not be published.