4 dicas de gestão financeira essenciais para o sucesso de startups
aceleradora de startupsPowered by Rock Convert

Dicas de gestão financeira são úteis em qualquer aspecto da vida, pois ajudam a organizar os débitos e planejar melhor os gastos. E quando trazemos essa questão para o ambiente de startups, a necessidade de colocar as contas em ordem se torna ainda maior.

Não dá pra negar que gestão financeira é um desafio. De acordo com o Banco Central (BC), 70% da população não costuma poupar dinheiro, o que reflete nossa falta de hábito em economizar para o futuro.

Apesar desse histórico negativo, é importante que os empreendedores façam um esforço para nadar contra a maré e cuidar da saúde contábil de seu negócio, alcançando o sucesso para o seu empreendimento. Confira as dicas de gestão financeira que preparamos!

1. Separe as finanças da pessoa física e da jurídica

Esta é a primeira e, provavelmente, mais importante orientação para os gestores que desejam controlar e colocar em ordem o seu modelo de negócio.

Quanto mais cedo você separar um “salário” mensal e aprender a viver com ele — preservando os lucros obtidos para investimentos dentro da empresa —, menores são as chances de perder o rumo dos seus gastos por reunir todas as contas em um único local.

2. Crie um controle financeiro

Uma das frases mais conhecidas da administração diz que “O que não pode ser medido não pode ser melhorado” — uma expressão que vem a calhar para o objetivo desse texto. Quem deseja ter o controle das suas despesas e, dessa forma, entender em qual área é possível reduzir ou ajustar os gastos, precisa urgentemente estabelecer um controle financeiro dentro da sua empresa.

Existem diversas ferramentas e softwares especializados nessa atividade, indicados para empresas de diferentes setores e tamanhos. Mas não se prenda a eles para iniciar a mudança. O importante é começar a registrar os gastos, nem que seja em uma planilha ou mesmo em um caderno.

3. Calcule as margens de contribuição por produto

A margem de contribuição, em outras palavras, é o lucro obtido de cada produto vencido, já com os impostos e despesas descontados.

Como boa parte desse valor será reinvestida na empresa — para garantir que o negócio continue operando —, é importante que a margem calculada consiga cobrir todos os custos de investimentos e tenha uma “sobra” para ser poupada para situações de emergência.

4. Utilize indicadores de desempenho

Reforçando o que falamos no tópico 2, medir os números obtidos é importante para entender o que precisa ser melhorado na sua empresa. Por isso, além do controle financeiro, também é importante utilizar indicadores de desempenho, que ajudam a medir diversos aspectos relacionados ao seu negócio.

Alguns indicadores bem efetivos para auxiliar no controle financeiro são o CAC (Custo de Aquisição do Cliente, autoexplicativa), LTV (Lifetime Value, que mede quanto dinheiro cada cliente gasta com seu produto ou serviço) e a NLQ (Número de Leads Qualificados), que mede a qualidade dos potenciais clientes prospectados.

Pesquise informações sobre cada uma dessas métricas na internet e comece a aplicá-las em seu negócio, separando resultados mensais para que seja possível analisar o desenvolvimento da sua companhia.

Com as dicas de gestão financeira deste post, o empreendedor terá todas as condições necessárias para dar os primeiros passos rumo a uma situação financeira mais estável para o seu negócio e para a sua vida pessoal.

Investir em programas de aprimoramento também é um fator essencial para melhorar suas habilidades de gestão. No post “5 motivos para investir em educação para empreendedores”, explicamos como reservar um espaço na agenda para novos aprendizados pode deixar o seu negócio mais competitivo!

Escreva um comentário

Share This